MUSE06 – Seminários em Composição I

Professor: Marcos Sampaio (sampaio.marcos@ufba.br)

1. Ementa

2. Objetivos

Ao final do curso espera-se que o estudante seja capaz de:

  1. Utilizar variados princípios de organização formal na Composição Musical.
  2. Compor em formato de miniatura
  3. Compor para formações camerísticas diversas, como quarteto de cordas, quarteto de trombones, etc.
  4. Explorar conceitos musicais conectados com projetos individuais de pesquisa.

3. Conteúdo Programático

  1. Organização formal
  2. Parâmetros musicais relacionados com a forma
  3. Semelhança e diferença
  4. Estaticidade e movimento
  5. Proporção
  6. Relações entre forma e projetos individuais
  7. Composição de miniaturas
  8. Composição de Música de Câmara

4. Metodologia

  • Estudantes buscam relação entre organização formal e seus projetos individuais
  • Experimentos
  • Elaboração de composição final.
  • Descrição das relações entre Forma, o tema da pesquisa individual e a composição final.

5. Avaliação

A avaliação do desempenho ocorrerá mediante trabalhos acompanhados semanalmente, composição e relatório final.

5.1. Nota

A nota do semestre será a média ponderada dos seguintes trabalhos:

Item Peso
Devaneios composicionais 3
Acompanhamento da composição final 2
Composição final 3
Relatório final 2

Todos os trabalhos deverão ser entregues pelo AVA/Moodle no prazo determinado.

5.2. Critérios

Os critérios gerais de avaliação são:

  • Cumprimento do objetivo da tarefa
  • Equilíbrio
  • Capacidade de explorar recursos de composição
  • Capacidade de explorar os domínios da música (timbre, altura, duração, textura, etc.)
  • Cuidados com a apresentação da partitura (composições)
  • Criatividade

As notas serão definidas de acordo com o seguinte critério:

Nota Entregue Solicitações cumpridas Aspecto de interesse especial Aspecto de algum interesse
100% X X X -
90% X X - X
80% X X - -
50% X - X -
40% X - - X
10% X - - -
0% - - - -

5.3. Trabalhos

5.3.1. Devaneios composicionais

Experimentos composicionais de curta duração para exploração de ideias e conceitos.

5.3.2. Composição final

Em construção

5.3.3. Consultas

Em construção

5.3.4. Relatório final

Em construção

6. Cronograma

Em construção

7. Obras para análise

9. Bibliografia

  1. Berry, Wallace. 1986. Form in Music: An Examination of Traditional Techniques of Musical Form and Their Applications in Historical and Contemporary Styles. 2nd ed. Englewood Cliffs, N.J: Prentice-Hall.
  2. Burnham, Scott G. 2002. “Form.” In The Cambridge History of Western Music Theory, 880–906. Cambridge Histories Online. Cambridge, UK: Cambridge University Press.
  3. Christensen, Thomas Street, ed. 2002. The Cambridge History of Western Music Theory. Cambridge, MA: Cambridge University Press.
  4. Collins, Nick. 2009. “Musical Form and Algorithmic Composition.” Contemporary Music Review 28 (1): 103–14. https://doi.org/10.1080/07494460802664064.
  5. Klein, Michael. 1999. “Texture, Register, and Their Formal Roles in the Music of Witold Lutosławski.” Indiana Theory Review 20: 37–70. https://doi.org/10.2307/24044509.
  6. Langer, Susanne K. 1954. Feeling and Form: A Theory of Art. New York: Charles Scribner’s Sons.
  7. Lewin, David. 2007b. Musical Form and Transformation. New York: Oxford University Press. http://scholar.google.com/scholar?hl=en&btnG=Search&q=intitle:Musical+Form+and+Transformation:+Four+analytic+essays#8.
  8. Wennerstrom, Mary. 1975. “Form in Twentieth-Century Music.” In Aspects of 20th Century Music, edited by Gary E. Wittlich, 1–65. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall.